Cuidados com a Alimentação em Época de Epidemia

0
0 Flares Facebook 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

Com toda a preocupação frente ao COVID-19, muitas informações desencontradas sobre manipulação de alimentos e a eficácia deles para nossa saúde acabam circulando na internet.

Seguir uma dieta saudável, balanceada em vitaminas e minerais, é benéfico para fortalecer o nosso sistema imunológico. Conheça alguns alimentos que são aliados no combate a doenças infecciosas, inflamações, entre outras:

Água

Ter uma hidratação adequada é essencial para combater as infecções virais, pois os vírus podem nos tirar o apetite o que pode ocasionar uma desidratação, vômito e diarreia. Se ocorrer a redução do fluxo salivar, também diminuirá a quantidade de Imunoglobulinas Tipo A (IgA) que são células de defesa presentes, principalmente, na saliva.

O ideal é ingerir de 35 ml a 40 ml de água por quilo corporal, diariamente. Lembrar que ao praticar atividade física, essa quantidade deve aumentar para 150ml a 250 ml a cada 15 a 20 minutos de exercícios.

Probióticos

Os probióticos são bactérias benéficas presentes na microbiota intestinal eu desempenham papel essencial na defesa contra muitos organismos patogênicos, evitando a sua multiplicação e invasão para nosso organismo.

Segue alguns alimentos probióticos a serem adicionados na sua dieta: Kombucha (bebida fermentada a base de chá verde ou preto – auxilia na perda de peso e melhora a disposição); Iogurte (ajuda a melhorar a função intestinal, controlar a hipertensão arterial e melhorar a saúde dos ossos), Picles (é uma fonte de vitamina K que auxilia na coagulação do sangue), Kefir (é semelhante ao iogurte, sendo resultado da fermentação de leite e grãos, e é rico em antioxidantes), Azeitonas em conservas (auxiliam na saúde do sistema digestivo), vinagre de maçã (ajuda no bom funcionamento intestinal), shoyu (rico em vitaminas do complexo B e tem ação antioxidante, auxiliando na disposição), coalhada (rica em antioxidantes e auxilia no fortalecimento dos ossos e dentes).

Prebióticos

Os prebióticos são partes dos alimentos nas quais não são digeridas, sendo alimentos para os micro-organismos benéficos para o intestino, ajudando na manutenção da microbiota intestinal e sistema imunológico.

Alimentos como cereais integrais (aveia, cevada e trigo), cebola, alho, tomate e banana são fontes de frutoologosacarídeos (FOS), a pectina, as ligninas e a inulina que são substâncias prebióticas.

Antioxidantes

Tanto os alimentos amarelos como os alaranjados são ricos em betacaroteno e vitaminas A e C, antioxidantes que previnem o envelhecimento precoce das células, ajudam na visão e no fortalecimento do sistema imunológico. Cenoura ovo, manga, mamão, abóbora, milho, banana, abacate e pimentão amarelo são alguns exemplos de alimentos desse grupo.

Além dos aspectos nutricionais dos alimentos, também é importante atentar-se com a segurança dos alimentos, isto é, os modos de preparos e armazenamentos dos alimentos para evitar a contaminação.

É importante que ao comprar verduras e legumes você realize as seguintes etapas: Selecionar e remover as partes deterioradas e raízes;
Lavar as folhas e frutas e deixar em solução com hipoclorito de sódio (1 colher de sopa ou conforme o fabricante para 1 litro de água) por 15 minutos;
Por fim enxaguar em água corrente, escorrer e colocar em um pote tampado.

Vale ressaltar que apenas o cloro consegue matar os micro-organismos como vírus, bactérias e fungos. Não utilize vinagre e bicarbonato de sódio para realizar a higienização de hortifrutis.

Outro ponto importante é a temperatura de armazenamento. Os vírus e bactérias causadores de doenças se multiplicam rapidamente caso os alimentos estejam em temperatura ambiente. Os alimentos refrigerados devem ser armazenados de 0ºC a 4ºC e os alimentos quentes acima de 60ºC. Caso seja necessário descongelar algum produto, realize o procedimento sob refrigeração.

Exemplo: colocar a carne em uma travessa na parte inferior da geladeira, fazer o procedimento na função descongelar do micro-ondas ou cozinhar imediatamente.

Dado ao exposto, também é importantíssimo reforçar a higienização adequada das mãos, superfícies, equipamentos e utensílios para ajudar no controle do contágio por vírus.

Autora: Tassiana Rozon - Nutricionista e Gestora de Qualidade. Graduada em Nutrição e em Gestão de Qualidade e pós-graduada em MBA em Serviços de Interesses à Saúde. Grande experiência em controle de qualidade em restaurantes, cafeterias, redes de fast-foods, hotéis e padarias, prestação de assistência nutricional a indivíduos e coletividade e atuação em pesquisas.

Compartilhe

Sobre o Autor

Comentários no Facebook